domingo, 17 de fevereiro de 2008

Meados de janeiro/2008


Ele escreve com muita sensibilidade e por isso mexeu com meus sentimentos.

Poderia ter se despedido com essa música. Seria mais poético, e até combinaria com o que escreve. Ele nunca gostou porque achava ele especial. Ele nunca entendeu. E disse que se assustou. Não conhecia o gostar poético, a admiração poética.


Boa Sorte – Vanessa da Mata/Bem C. Harper

É só isso
Não tem jeito
Acabou, boa sorte

Não tenho o que dizer
São só palavras
E o que sinto
Não mudará

Tudo o que quer me dar
É demais
É pesado
Não há paz

Tudo o que quer de mim
Irreais
Expectativa
Desleais


Mesmo, se segure
Quero que se cure
Dessa pessoa
Que o aconselha

Há um desencontro
Veja por esse ponto
Há tantas pessoas especiais.

Um comentário: