domingo, 2 de março de 2008

Recife, 27 de novembro de 2007

O abraço era tão apertado
Capaz de partir até a alma

A alma não estava lá
Nem a dona dela
Nem o pensamento
Estavam distantes
Vagavam por outro mundo
O corpo inerte sofria
Por estar vazio
Nos braços de outro

3 comentários:

Professor Sergio disse...

Paulinha, exitem abraços virtuais que sentimos mais energia e afetividade do que outros abraçados em corpos mas sem qualquer energia. Abraço, desses com energia, para você!!! bjao...qual nome da sua filha?

Vilma disse...

Paula, um abraço do tamanho da distância de Recife até Curitiba, mas que ele saia dai e de a volta pra cima, suba para os EUA, mais um pouco para a Groenlândia, atravesse os mares, aí desça da Rússia para a Europa, depois para África, vá a Antártida e depois suba para Santa Catarina pra Depois Chegar a Curitiba este é o tamanho do abraço minha amiga e bem apertado e não vale ficar vazio não, pois nesse caminho tem tanto pra ver, aprender, conhecer e saber que você vai se sentir muitoooo cheia de energia. Que a sua semana seja ótima. Bjs

Vanna disse...

Bom dia querida, outro dia m senti assim, mas como vc viu no penúltimo post, estou tentando ver em outro o q existe d melhor q justifique tentar ser feliz c/ o q se tem.
Bjs, linda semana.