quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Às vezes "roubo" palavras-emoção para reler depois e poderia guardar em qualquer lugar, mas guardo aqui, nesse coração que me faz lembrar.
Um comentário de Dauri para Eurico.
Eurico,


passo por aqui, mas nem sempre comento. Tomei um susto quando vi este post. Não sei o que dizer. A poesia é algo que não sei explicar, é algo bom, algo mais. O poema é a sombra. Dizer-se não-poeta é dizer uma impossibilidade - não sei exatamente qual. Talvez impossibilidade de apreender este pássaro que tem asas maiores do que as da imaginação. Também não sei se é isso o que me faz afirmar que sou um não-poeta. Quem sabe seja por encarar a escrita de poemas como um modo de fazer Imaginação Ativa, uma técnica Junguiana de dialogar com outras façes do próprio rosto. Por ai... sei lá...Obrigado por me fazer pensar.Um abraço.



Dauri

2 comentários:

paula barros disse...

E assim vou tentando entender o que sinto ao escrever, os voos que dou, o tão longe que vou.

E ao ler mergulho em mim, feito um pássaro, que mergulha e volta com algo no bico, e volta a voar.

E o escrever é soltar esse pássaro, também.

obrigada Eurico e Dauri

Eurico disse...

Que bonito!