sexta-feira, 28 de maio de 2010

Peguei nas asas da tua mente
E voei, fui contigo passear
Num lugar lindo

Escutei a gargalhada do teu coração
Que me transportava feito um cavalo alado

Peguei em tuas mãos
Rodopiamos no silêncio das nossas vozes
Escutando os sons da natureza

Um comentário:

Memória de Elefante disse...

Embora a vida seja sombra e luz
num palco de perplexidades
aqui estaremos como
um belo animal alado no seu voo
alta asa dourada em seu aroma
e se souber querer terá pouso e pasto e sortilégio.

Deixo-te meu beijo!