quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Um momento em Recife









Vendedor de sombrinhas de frevo as arrumava.
Num dia de sol lindo, era domingo na cidade do Recife.
O Marco Zero ainda aguarda a chegada do carnaval.
Local de concentração dos foliões.
Mas o vendedor incansável vende o seu produto.
Para turistas e moradores da cidade.
Ainda, ou já, é julho.
O tempo passa, ou passa a gente pelo tempo.
Já, já, é carnaval, é folia, é frevo.
É tempo de colocar máscaras, ou de tirá-las, depende.


5 comentários:

eder ribeiro disse...

Percebo q seus últimos escritos fala de tempo. Aqui em São Paulo, onde se mais perde o tempo é no transporte, é estressante. A sensação de que ele passa rápido é justamente por no momento de aproveitá-lo após o trabalho, o perdemos no trânsito. Bjos.

Mar Arável disse...

Abre o pano
cai o pano
não existe pano
o tempo passa

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida Paula

Me fascina
o quanto
quem é de Recife,
ama a sua terra.

Que em teu coração,
a vida possa dançar
a música da alegria.

:.tossan© disse...

Gostei da foto dos guardas-frevos! Beijo

O Sibarita disse...

É isso, o carnaval chegando e com ele a alegria das sombrinhas e quiça do amor, reparou? kkkkkkk


O Sibarita