sexta-feira, 26 de março de 2010





Nas mãos pétalas perfumadas e pedras
Na hora de amar guardou as pétalas
Acariciou com pedras

2 comentários:

Memória de Elefante disse...

Certamente amou tanto que escolheu acariciar com pedras preciosas, por isso guardou as pétalas.

Forte e intenso ...!


Um beijo

Le Vautour disse...

Po-de-ro-so! Não sei se vejo aqui a contradição (eterna) humana, o antipodismo da natureza, ou se uma metáfora muitíssimo bem elaborada, uma síntese de antíteses. O que seria, também, delicioso.
Este texto é pefeito!
Abração!